Make your own free website on Tripod.com

A força espiritual da obra vasta de Lorenz Johannes Heilmair
Home
O RETRATO DE DONA CARMELA SALGADO
A REDESCOBERTA DE CATELLI
Catelli é o cara
erro
Romero Brito no Rio
mosaicos de S. Bento do Sapucaí
A Bahia renovada: o mosaico de Eliezer Nobre
O mosaico do cineasta Mário Carneiro
Moema Branquinho, o profissionalismo na arte
A revolução silenciosa de Jo Kawamura
Schueler: uma vida dedicada ao mosaico
Mosaicos do Instituto Oswaldo Cruz
A comunidade luso brasileira no mosaico curitibano
Uberlândia revisitada pelos seus mosaicos
Flávio Phebo: cenários e mosaico
Ciranda do Mosaico, experiência de sucesso
Juarez Paraíso entre a dor e a Paixão
A homenagem a Lupicínio Rodrigues
Gustavo Nakler, o mosaico após o bronze
O mosaico cabeça de Maria Tomaselli
Isabel Ruas engrandece a arte
Um painel no Centro Cultural Franco Amapaense
Mosaico na revendedora Chevrolet
Romero Britto e Michael Jackson
Freud de Melo, pedra por pedra
Leonardo Posenato e a História
A arte coletiva do mural curitibano
Mosaicos variados de Alagoas
Obra de Raphael Samu tomba aos pés da UFES
No Recreio um santo mosaico
Clóvis Graciano: a longa espera
Mosaicos inspirados do Acre
No Metrô com Leilah Costa
Carlos Catini, de Tocantins para o mundo
A fauna pantaneira em mosaicos
Painel de Zenon Barreto, o resgate
Núbia Gonçalves colore a Paraiba
Vitória Basaia, a magia da vida
Mosaicos além da linha do Equador
Júlio Carvalho redesenha Porto Velho
O Clube Naval e seus pisos ilustres
O mosaico criativo de Fátima Campos
Regina Bustamante encara o leão
A tridimensionalidade em Marcelo de Melo
Bispo do Rosário, colecionismo no caos
Paulo Werneck, o maior de todos
Lorenz Heilmair entre os mosaicos e os vitrais
Sérgio Honorato: competência artística
Mosaicos de Belém no auge da borracha
Cláudia Sperb, a arte da cobra
A arara de Flávio Império
A arte pública de Zenon Barreto
Pisos em mosaico do MNBA
Estrigas e a revisão da História
Casa dos cacos de louça em Contagem
Roteiro do mosaico no Rio
Mosaico e turismo em São Paulo
O mural de Martinho de Haro
O mosaico de Noêmia Guerra
Mosaicos de Porto Alegre vieram do Vaticano
Os pisos do Palácio Tiradentes
Os mosaicos de Fritz Alt em Joinville
Aldemir Martins e o Dragão do Mar
A presença de mosaicos árabes no Brasil
A cúpula do Teatro Amazonas
A obra vasta de Heinz Schueler
O charme discreto de Raphael Samu
O mural de Odiléa Toscano
A religiosidade em Danúbio Gonçalves
O maranhense de Bacuritiba
De Newrton Navarro a Damasceno
Mosaicos de Chica Granchi, puro prazer
O mosaico do Cristo Redentor
OS MOSAICOS DE PORTINARI, REALIZADOS E A REALIZAR
A decodificação de Nitsche
EM CONGONHAS, UM MOSAICO AMOROSO
Mosaicos de Atitude em Clemência Pizzigatti
Murais em mosaico de Tomie Ohtake
BASSANO VACCARINI, DA ITÁLIA PARA O BRASIL
OBRA MURAL DE LEDA CATUNDA
Romero Britto e a crítica
Mosaicos do Palácio Guinle
Ianelli e a opção madura pelo mosaico
CLOVIS GRACIANO EM GOIÂNIA
Estevão da Conceição na favela de Paraisópolis
SAMSON FLEXOR: O CIRCO EM JAÇANÃ
A geometria do mosaico-calçada em Brasília
O muralismo musivo de Cláudio Tozzi
Mosaico de Lygia Clark no Rio
O chocolate de Vik Muniz e os cereais de Siron Franco
Mosaicos de Nazaré
Os mosaicos de Di Cavalcanti
Duas, três, muitas vezes CARYBÉ
Serafino Faro, mestre mosaicista
Os mosaicos apenas projetados por Carlos Scliar
Os mosaicos renovados de Luiz Ventura
Mosaicos de Roberto Burle Marx
HASSIS NA PRAÇA XV
Julio Guerra: reinvenção de Borba Gato
Galileu Emendabili e a Revolução Constitucionallista
A luz que atravessa a obra de Freda
Aldemir Martins, a última fase
O luxo cromático de Amélia Toledo
Percy Deane, um amazonense no Rio
AS INTERVENÇÕES DE SELARON NO RIO
presente papal: mosaicos do Vaticano
a presença e a ausência de Mucci
A pureza de Antônio Carelli
Carlos Oswald em Botafogo
O Buda do mosaicista Inimá de Paula
A Vila não quer abafar ninguém
Gastão Formenti, primeiro o artista, depois o cantor
Eduardo Sued, artista, prestidigitador
Mosaicos de Cozzo na Sinagoga
A obra de F. Gaudin no Rio de 1908
Mosaicos de Minas, religiosidade e arte social
Antonello L'Abbate, o ítalo-baiano
JOSÉ PARA SEMPRE MORAES
Carmela Gross: cabeça nas alturas, pés no chão
O mosaico do atleta Aldo Manfrói
Mauro Fuke, tesouro encontrado
A iniciação ao mosaico, de Athos Bulcão
Gershon Knispel no Sumaré
O imaginário de Copacabana
Mosaicos do Jockey carioca
A obra musiva de Gryner
Martha Poppe: do selo ao mosaico
Mosaico de Ladjane Bandeira
A obra perene de Franco Giglio
Bel Borba é a nova imagem da Bahia
A obra em mosaico de Leonilson
A arte sacra do italiano Angelo Tanzini
Cadê o Clovis Graciano que estava aqui?
Ignorância destrói obra de Paulo Werneck
Belmiro de Almeida: mosaico de 1934
Mosaicos em Serra Negra
Painéis de Glauco Rodrigues
Mosaicos de Poty Lazarotto
Os mosaicos que orgulham o Ceará
Mosaico de Paulo Werneck no Senado
Um poeta mosaicista, Rodrigo de Haro
O autor? alguém conhece?
Paulo Freire ganha monumento em mosaico
A obra de Portinari para Brasília
Mosaicos Armoriais de Suassuna
Alfredo Volpi na Casa de JK
Mosaicos de Lívio Abramo
Vista do Pão de Açúcar
O mosaico destruído em Belém
Manabu Mabe e o Ateliê Sarasá
A obra de Facchina no Brasil
Mosaicos verticais, vocação irresistível
Os mosaicistas ítalo-brasileiros
Impulso e compulsão na arte musiva
A nova Pampulha de Paulo Werneck
Painéis de JK
Calçadas de pedras portuguesas em Copacabana
Mosaicos da Imperatriz Teresa Cristina
Mosaicos romanos da Síria
Graciano, o modernista de Sampa
Um projeto de mosaico poético para Brasília

A arte religiosa de Lorenz Heilmair no Brasil

Mosaico na Igreja de Cruzeiro do Sul (ACRE)
cruzeiroapocalipse2.jpg

De tudo que já foi escrito e exibido aqui nestas páginas, nenhum comentário será suficiente para  apresentar ou descrever  um pouco do perfil do artista Lorenz Johannes Heilmair, devido não apenas à vastidão de sua obra, mas também pelas características de sua carreira artística, essencialmente profissional, em grande parte compartilhada com a Igreja Católica que se tornou cliente especial de seus vitrais e mosaicos,  hoje espalhados nas basílicas, catedrais, capelas, casas pastorais e em uma enormidade de templos deste país.

 

Obra religiosa na Igreja de Nilópolis (RJ)
igrejadenilopolis.jpg

Fica evidente, pelo nome e sobrenome, tratar-se de um artista alemão. Nasceu em 1951 em Munique naqueles dias difíceis do pós-guerra. Sua família emigrou para o Brasil no ano seguinte, fixando-se primeiramente em Porto Alegre. Seu pai era artista e veio a criar, cinco anos depois da chegada, o Estúdio de Arte Sul, onde iniciou o filho nos caprichos do desenho e da pintura. Do estúdio nasceram os primeiros vitrais, destinados a residências particulares. Em 1960, o estúdio foi transferido para S. Paulo, onde, em 1964, surgiu o primeiro trabalho solicitado para o interior de uma igreja: um vitral para a Catedral de Botucatu, no interior do Estado.

 

Após esta obra, seguiram-se dezenas e dezenas de novos contratos, alguns por clientes privados, outros por solicitações eclesiásticas e de colégios religiosos. A Igreja tornou-se sua principal contratadora, mas também os órgãos de governo a ele acorreram, especialmente a Caixa Econômica Federal, para quem Lorenz Heilmair produziu vitrais tanto nos prédios principais no Rio de Janeiro, quando no Edifício-sede em Brasília (DF), ambos de rara felicidade criativa.

Os mosaicos vieram em seguida, todos muito singulares e decorrentes de sua própria produção de tesselas vítreas. Nas igrejas onde foram aplicados, os mosaicos decorreram quase sempre de um trabalho repartido, em beleza e apuro, com os vitrais, da mesma fonte criativa.

IGREJA DE SANTA CATARINA LABOURÉ, CURITIBA(PR)
igrejstacatairinalabour.jpg
FOTO GENTILMENTE CEDIDA PELA ARTISTA TANIA KASSYA

Depois de iluminar com sua obra as paredes da Catedral de Botucatu, Lorenz não teve mais um minuto de descanso. De suas oficinas, saíram obras religiosas, em vitrais e mosaicos, para a Igreja-matriz de Rodeio (SC), para a Catedral de São Carlos (SP), para a Igreja-matriz de Itapira (SP),  para a Igreja Metodista do Rio de Janeiro (RJ), para a Catedral de Joinvile (SC), para a Igreja de S. Gabriel (SP), para a Igreja de São Pedro Apóstolo em Jundiaí (SP), para a Catedral de Maringá (PR), para a Igreja do Rio Negro, no Paraná; para a Igreja de Santo Antônio, em Curitiba (PR), para a Igreja de Nossa Senhora do Carmo, em Aclimação (SP),  para a Igreja de Na. Sra. De Aparecida, em Mafra (SC), para a Igreja São Humberto, em Ibirama (SC); para a Catedral de Cruzeiro do Sul (AC); para a Igreja São Bonifácio, em S. Paulo; para a Capela do Noviciado, em Rondinha (PR); para a Capela do Centro Filosófico da Província Franciscana da Imaculada Conceição, em Rondinha, distrito de Campo Largo (PR), para a Capela da Casa Provincial das Irmãs Servas dos pobres, em Curitiba (PR); para  a Capela Ecumênica da Sociedade Beneficiente Alemã, de S. Paulo (SP), para a Capela do Seminário Servo dos Pobres, em Curitiba (PR), para a Capela da Faculdade Católica do Paraná, em Curitiba

ALTAR DA CAPELA DE Na.Sra. DA MEDALHA MILAGROSA
altarnsamilagrosacapeladamedalha.jpg
FOTO GENTILMENTE CEDIDA PELA ARTISTA TANIA KASSYA

E ainda mais estas: para a Basílica de Nsa. Sra. Aparecida, em Aparecida do Norte (SP); para a Igreja Matriz de Miguel Pereira (RJ), para a Capela do Provincialato das Irmãs Franciscanas de São José, em Barreiros (SP); para a Catedral de Santo Antõnio, em Campo Grande (MS); para a Capela do Centro de Teologia do Convento Franciscano, em Petrópolis (RJ);  para a Igreja Matriz de Piçarras, em Santa Catarina; para o Santuário de Na. Sra. da Graça, em Londrina (PR); para a Igreja Matriz de Rodeio (SC); para a Capela das Irmãs Franciscanas de S. José, em Vargem dos Cedros (SC); para a Capela do Eremitério Frei Egídio da Província Franciscana da Imaculada Conceição, em Rodeio (SC); para a Capela do Rosário, na Basílica Nacional de Na. Sra. Aparecida, em Aparecida do Norte (SP); para a Igreja de São José Trabalhador, em Curitiba (PR); para a Capela do Seminário Diocesano de Santo Amaro, em São Paulo; para a Capela da Associação Kolping, em S. Paulo (SP); para a Capela da Casa Provincial das Irmãs de S. Pedro Canísio, em Brasília (DF); para a Casa Provincial das Irmãs de São João Batista, em Curitiba (PR); para o Santuário de Nsa. Sra. Aparecida de Nilópolis (RJ); para a Igreja-Matriz de Santo Amaro da Imperatriz (SC); para a Igreja de Miguel Pereira, no Rio de Janeiro; para o Hospital Nossa Sra. das Graças, em Curitiba; para o Hospital da Providência, em Apucarana (PR); para a  Capela da Casa Franciscana de São Francisco de Assis, em Bragança Paulista (SP); para a Igreja de Na. Sra. Auxiliadora, em Ponta Grossa (PR); para o Hospital da Penitência, no Rio de Janeiro (RJ): para a Igreja do Movimento Focolari, em Mariápolis Aracelli, distrito de Vargem Grande Paulista (SP); para a Casa da Oração das Irmãs da Caridade  São Vicente de Paula, em Curitiba (PR); para o Centro Educacional Menino Jesus, em Florianópolis (SC); para a Igreja de Santa Catarina de Labouré, em Curitiba (PR); para o Edifício do Provincialato das Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus, em Curitiba (PR); para a Igreja de Na. Sra. do Perpétuo Socorro, em Santo Amaro (SP); para o altar da Igreja de Na. Sra. do Perpétuo Socorro, em Rosália (PR); para o Seminário de Na. Sra. do Rocio, em Campina Grande do Sul  (PR); para a Capela de Na. Sra. do Rocio, Edifício do Provincialato das Apóstalas do Sagrado Coração de Jesus, em Curitiba; para a Catedral Imaculada Conceição de Dourados (MS); para o Centro Educacional Menino Jesus, em Florianópolis (SC); para o Instituto das Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus, em Curitiba (PR); para a Casa Provincial das Irmãs Franciscanas da Imaculada Conceição, em Araraquara (SP); para o Colégio Teodoro da Na. Sra. de Sion, em Vila Maria (SP); para o Mosteiro Mater Cristi, da Fazenda Esperança, em Criciúma (SC); da Fundação Shalom da Família, em Criciúma (SC); do Santuário da Divina Misericórdia, em Umbará, distrito de Curitiba (PR).

 

 

MOSAICO NA IGREJA DE SANTA CATARINA, CURITIBA (PR)
mosaicoigrejastacatarina.jpg
FOTO GENTILMENTE CEDIDA PELA ARTISTA TANIA KASSYA

 Quem acompanhou até aqui, agora pasme: nem todas capelas, igrejas  ou prédios de confissões religiosas estão citadas aqui. Há muito mais templos que mereceram mosaicos, vitrais ou mesmo afrescos e outras artes decorativas das mãos abençoadas do alemão Lorenz Johannes Helmair. Ele nunca limitou sua produção artística às encomendas eclesiásticas. Há uma outra enormidade de trabalhos em mosaico ou em vitral realizados para clientes particulares. E também peças que elaborou para outros espaços no exterior, especialmente na Alemanha e em Portugal.

 

NA VIA SACRA EM VOLTA DA NAVE IGREJA.STA.CATARINA
viasacraemvoltadanave.jpg
FOTO GENTILMENTE CEDIDA PELA ARTISTA TANIA KASSIA

 

Enfim, é um trabalho de fôlego, que mereceria melhor exame de quem se interessa pela arte em todas suas modalidades, particularmente os que apreciam as obras em mosaico, buscadas neste site. É necessário dizer que o artista não só concebe e executa suas obras em mosaico e vitral, como também produz as pastilhas e os vidros com que vai realizá-los. Ainda nos anos 80, Lorenz Helmair retornou mais uma vez à Alemanha para buscar know-how fornecido pela empresa Waldsassen na fabricação de vidros artesanais, com o qual aprimorou ainda mais o seu trabalho e ganhou autonomia cromática e técnica para incrementar sua atividade artística.

CAPELA DAS IRMÃZINHAS VICENTE DE PAULA
capelamedalhamilagrrirmazinhass.vicentepaula.jpg
FOTO GENTILMENTE CEDIDA PELA ARTISTA TANIA KASSYA

Pela série aqui enunciada, fica claro que, além de ter na Igreja sua principal fonte de contratos, o artista também mantém seu espaço geográfico de atuação concentrado na região Sul do país, entre o Rio Grande do Sul e São Paulo. Há algumas obras, não menos importantes, no Rio de Janeiro, em Brasília e até mesmo no Acre, mas a principal demanda vem mesmo dos clientes do sul.  Essa distribuição indica claramente que há espaço para que sua produção artística avance ainda mais, levando-a até outros rincões vastos desde Minas Gerais até os Estados do Norte e do Nordeste brasileiro. Lorenz Helmair parece ser dessas pessoas providenciais, que veio ao mundo para embelezá-lo com sua arte, tão densa e tão vasta. Longa vida a esse grande artista!

 

 hgougon, março de 2010

 

Enter supporting content here